A luz

Publicado: novembro 17, 2010 por slyfer052 em Contos
Tags:

                Morri? Eu realmente bati o carro? Aquele carro estava correndo feito louco… Não deu tempo de frear e… Eu morri? Só isso? Perai, onde estou? Não enxergo nada… nem minhas mãos eu vejo, mas posso senti-las…  Sinto que posso andar também… Apesar de não ter para onde ir nessa extensa escuridão…

                Espera o que é aquilo? Tem uma luz ali… Parece que a luz vem de uma porta…

                Ai meu Deus! Eu morri mesmo! Essa é aquela luz que falam nos filmes! Todos que morrem vêem essa porta! Eles vão até ela, e vão para o outro mundo…

                …

                *snif*

                Espere, eu não posso ficar chorando… Minha vida foi boa enquanto durou… Tive bons momentos com a família, família… O que será da pequena Larissa agora? E pensar que trabalhei tão duro para ver minha filha crescer… Agora, no entanto, ela não terá com quem compartilhar seus futuros sucessos…

                *snif*

                …Deveria eu ir até a porta? Ela parece tão distante, e tão perto ao mesmo tempo.  Imagino se eu realmente vou para o paraíso… Não fui uma pessoa má, pelo contrário, sempre procurei ajudar os outros, todavia, não fui muito religioso… Deus daria um lugar no céu para mim? Meu Deus! Por que é tão difícil ir até uma porta? Espera… Tem alguém ali em frente! Vou falar com ele!

                – Ei! Você ai!

                – Oi!

                – Oi…? ………… Olha, eu preciso saber! Você morreu também?

                – Claro!

                -… E você não esta assustado com isso?

                – Neeeeem, eu me matei.

                – Você se matou?!

                – É.

                – Mas por que?!

                – Isso não é da sua conta.

                -… Oh… desculpa. Não foi minha intenção lhe aborrecer…

                – Brincadeira! Só estava cansado da vida. Tava um tédio… Ai quis mudar um pouco…

                – Um pouco?

                – É.

                -… Mas não acha que exagerou se matando? E sua família? Eles vão sentir sua falta.

                – Eles não se importam comigo… E não é como se eu me importasse com eles.

                -… Bem, e o que você vai fazer agora?

                – Vou para a luz!

                – Mas você não tem medo, receio ou algo do tipo? Se você vai pro inferno ou pro céu?

                – Cara! Eu sou ateu.  Não acredito em nada disso.

                -Entendi…  E o que você acha que tem depois da porta?

                – Não sei… Talvez ao chegarmos ali, nossa alma se despedace, ou simplesmente nossa memória é perdida para sempre.

                – E você não tem medo disso acontecer?!

                – Eu me matei lembra? E isso não é algo que eu teria medo… Já que me matei.

                – É. Realmente…

                – Enfim, estou indo…

                – ah, ok… 

                -… Você não vem?

                – Estava pensando… Não sei se vou para o céu ou inferno. Mas acredito em Deus… Então não posso simplesmente entrar lá. Estava pensando em não ir pela porta.

                – E você quer ir para onde?

                – Talvez procurar outra saída, ir pro mundo real e ver minha filha uma ultima vez…

                – Mas… Você não tem medo de virar uma alma penada?!

                – Alma penada? Você acha que aconteceria? Eu poderia voltar aqui quando quisesse, não?

                – Não sei, mas não gostaria de correr o risco de “viver” para sempre. EU não gostaria, e não correria o risco. Vou indo. Foi um prazer conversar com você.

                – Ah, o prazer foi meu.

                …

                Ele realmente se foi. Entrou, e não saiu. Não o ouvi gritar ou algo do tipo… Devia ter pedido para ele tentar voltar e falar comigo…  Mas e agora? Acho que não tenho escolha, Vou passar pela porta…

                Nossa! Daqui de perto, a luz é realmente intensa. Ainda estou com medo… Já sei, vou colocar apenas minha mão, e se não acontecer nada, eu vou.

                —————————————————————————————————-

                Coloquei minha mão na passagem. Não faço idéia do que foi que causou, mas senti como se fosse puxado para dentro da passagem… Tentei me equilibrar e sair da porta. Em vão. Fui sugado. Um clarão foi a minha ultima lembrança…  Talvez hoje eu esteja no céu, no inferno, ou simplesmente tenha deixado de existir.

comentários
  1. joão disse:

    5 estrelas. °-°/

  2. Aliine disse:

    Muito bom ^^

  3. Giselle disse:

    Adorei, como havia dito…vc é bom nisso…continua pq vc só tem a melhorar :-).

    Estou ansiosa pra próxima…bjs
    Gi

  4. Gabriel Ireno disse:

    adoreiii …. sem comentários nessa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s